top of page

Estratégias para quem vai iniciar a introdução alimentar e sente-se perdido


Chegou a altura de iniciar a introdução alimentar do seu bebé e sente-se perdida e assoberbada com tanta informação? Então este artigo é mesmo para si!


Vamos dividir este artigo em três partes:

Quando começar? Como começar? O que oferecer?


Quando deve iniciar a introdução alimentar?


O timming ideal para iniciar é o mais próximo possível dos 6 meses, idealmente na presença de sinais de prontidão, contudo alguns bebés podem precisar de começar mais cedo ou mais tarde, não devendo iniciar antes das 17 semanas (4 meses e 1 semana) nem depois das 26 semanas (6 meses e 2 semanas).



Porquê? Antes das 17 semanas o bebé não está preparado do ponto de vista neuro motor nem digestivo e após as 26 semanas corremos o risco de retardo de crescimento e desenvolvimento de anemia.


Os principais sinais de prontidão a que deve estar atento são os seguintes:

  • Controlo axial e cervical (capacidade de se sentar com o mínimo de apoio e mantém a cabeça direita – Fundamental uma vez que o processo de deglutição depende da estabilidade do bebé)

  • Diminuição do reflexo de extrusão da língua (começa a aceitar dentro da cavidade oral e não os empurra para fora)

  • Desenvolveu a competência motora olhos-mão-boca (olha para o alimento, agarra-o e leva-o à boca);


Como começar a introdução alimentar?


BLW, método tradicional, método participativo...são tantos e com tantas especificidades que muitas famílias se sentem perdidas neste caminho, o que é perfeitamente normal. Não existe um método melhor que outro, devendo a escolha ser aquela que deixa os pais mais confortáveis!

O BLW preconiza que o bebé se deve autoalimentar com alimentos em pedaços, no método tradicional é o adulto que é responsável por oferecer purés à colher, já o método participativo é um misto das duas abordagens. Ambos têm vantagens e desvantagens:

Baby-led weaning

Método tradicional

​Vantagens

  1. Papel ativo (maior autonomia);

  2. Melhor regulação dos sinais de fome e saciedade;

  3. Desenvolvimento de habilidades motoras;

  4. Prático (todos comem o mesmo com devidas adaptações;

  5. Exposição a vários sabores e texturas desde cedo.

  1. Purés e papas têm geralmente maior densidade nutricional;

  2. Maior sensação de segurança para os cuidadores que não se sentem confortáveis para oferecer alimentos inteiros no início da IA;

  3. Evolução de texturas progressiva sem a pressão de oferecer logo pedaços aos 6 meses.

Desvantagens

  1. Se não for guiado de forma correta pode levar a défices nutricionais;

  2. Se os alimentos não forem apresentados em formato seguro existe maior risco de engasgamento;

  3. Só pode ser iniciado após demonstrarem os sinais de prontidão.

  1. Confere menos autonomia ao bebé;

  2. Ensina os bebés a engolir antes de aprender a “mastigar”;

  3. Se não houver progressão de texturas pode comprometer aceitabilidade de alguns alimentos no futuro.


O que devemos oferecer?


Não existe obrigatoriedade de iniciar a introdução alimentar com um alimento específico como uma sopa de cenoura ou uma “primeira papa” industrializada. Também não é obrigatório que entre a introdução de cada alimento seja feito um compasso de espera de 3 dias, exceto no grupo dos alimentos alergénicos.

Todos os outros alimentos podem e devem entrar na alimentação do bebé de forma a fornecer uma ótima variedade de cores, sabores e texturas.




Nos primeiros dias da introdução alimentar não aconselhamos introduzir alergénios, pois caso o bebé tenha alguma reação vão ter uma primeira experiência menos tranquila, fora isso, qualquer alimento da roda dos alimentos pode ser escolhido para iniciar. Pode dar primazia à oferta de vegetais verdes de sabor amargo, para começar desde cedo a apresentar sabores com os quais o bebé não está tão familiarizado e incutir essa aprendizagem. Os primeiros alimentos a oferecer vão depender da cultura, disponibilidade alimentar e dos hábitos e valores de cada família. Por isso, desde que comecem com alimentos nutritivos podem começar por oferecer qualquer um, por exemplo: batata, brócolos, carne, maçã cozida, lentilhas, cenoura, abacate, arroz, etc... no fundo o que fizer mais sentido para vocês e para o vosso bebé.


Boas refeições :)

Equipa BebéFoodie

345 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page